Mercado financeiro e os perfis de investidores.

O presente texto tem por finalidade demonstrar que o mercado financeiro permite um universo de oportunidades para as pessoas.

Com o avanço da democratização do mercado e a busca incessante das instituições financeiras em clientes, criaram-se classificações com a finalidade de especificar produtos para diferentes perfis.

 

  1. Classificação geral (Tradicional):

Cada pessoa tem uma sensibilidade ao risco com a sua exposição financeira, geralmente o investidor ao abrir uma conta em corretora de valores faz um questionário sobre as diferentes posturas relacionadas ao dia-a-dia das aplicações.

A depender do resultado do questionário alguns ativos financeiros não ficarão disponíveis, se acaso o investidor querer aplicar o seu dinheiro em investimentos mais arriscados, terá que assinar um documento – geralmente de forma eletrônica – com a sua ciência de exposição ao risco.

A classificação tem por finalidade o direcionamento de ativos financeiros de acordo com o perfil do investidor que poderá ser: Conservador, moderado ou agressivo.

 

  • Perfil conservador: Pessoas deste perfil têm maior sensibilidade ao risco, não abrem mão do capital e aceitam o retorno financeiro baixo em prol da segurança. Aplicam em renda fixa (CDB, LCI, LCA, TESOURO DIRETO, DEBÊNTURE), pois sabem o quanto vão ganhar e que a sua exposição a perdas é mínima.
  • Perfil moderado: Aplicam geralmente 70% do seu capital em renda fixa e os outros 30% aceitam correr risco.

Grande parte do dinheiro está aplicado em ativos que preservam o poder aquisitivo enquanto o restante está em renda variável.

Os produtos disponíveis são os mesmos do perfil conservador mais ativos de renda variável como: Ações, fundos imobiliários, ETFs, empréstimo de ações como doador.

  • Perfil agressivo: Expõem ao risco a maioria do seu capital, geralmente são investidores/especuladores profissionais, trabalham com ativos de forma mais analítica, produtos financeiros mais complexos são disponibilizados como: Negociação de mercado futuro, opções, venda a descoberto, aluguel de ações como tomador e alavancagem.

Na verdade essas classificações são ferramentas úteis para a instituição financeira demonstrar o portfólio de serviços de maneira mais facilitada, como também enquadrar o nível de experiência do investidor.

Atualmente existem corretoras de valores especializadas em investidores arrojados e profissionais que fazem o questionário de abertura de conta apenas para cumprir a instrução CVM 539, porém toda a sua plataforma está voltada a este perfil de clientela.

  1. Classificação específica – Perfil agressivo -:

Dentro do perfil agressivo existe um universo no mercado financeiro, sendo que estes aceitam correr risco do seu capital em troca de um maior retorno e na maioria dos casos a sua renda de sobrevivência é o próprio mercado.

É o atual e mais comentado universo trader que se delimitam em vários perfis a depender da experiência e o capital disponível, aqui se pode falar até em especulação financeira sem nenhuma utilização de eufemismos.

Trade é uma palavra de origem inglesa que significa comércio ou negócio que no mercado pode ser trabalhado de forma diária, semanal ou mensal.

A depender do perfil da experiência do especulador e o seu capital as entradas e saídas em determinado mercado são variáveis. Os estilos de operação são classificados em:

  • Day trade: Compra e venda de ativos financeiros no mesmo dia com operações que duram minutos e horas, aqui a paciência e a tolerância a perdas são mais testadas;
  • Scalper: Pode-se considerar como uma característica específica do day trade, entradas e saídas do mercado que duram segundos no máximo minutos, com uma análise gráfica em tempo bem curto, utilizado geralmente para mitigar riscos, porém como são operações rápidas o retorno é menor se comparado com outro estilo operacional;
  • Swing trade: Operações que duram mais de um dia, podendo durar a semana, mescla a análise gráfica com a fundamentalista;
  • Position trade: O investidor fica posicionado em um mês ou mais em ativos. Fundos de investimento institucionais costumam trazer essa característica, demanda um tempo dedicado a análise da economia e de gráficos;
  • Buy and hold: Opção adotada por investidores com perfil de sócio das empresas. Compram e mantém o ativo durante um longo período em sua posse, utilizam-se predominantemente da análise fundamentalista e desconsideram a volatilidade imediata presente em renda variável, se preocupando mais com o sucesso da empresa ou os dividendos distribuídos.

Esses perfis demonstrados não é uma regra imutável das pessoas que investem ou especulam em diferentes mercados, o que existe é a tomada de decisão específica em cada caso, com a finalidade de mitigar riscos e garantir o lucro no bolso, seja em curtíssimo ou longo prazo.

 

 

Guilherme Henrique Borges Silva

Advogado

Investidor e estudante do mercado financeiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *