ADVOGADO NÃO DEVE COBRAR DE ACORDO COM APARÊNCIA DO CLIENTE

Sabe aquela história de quando o Advogado inicialmente cobra 30 mil do cliente e acaba fechando por 7 mil? Pois é.

Tem uma diferença aí, não é?

Às vezes o cliente sente isso. De que o Advogado pode estar cobrando seus honorários de acordo com a sua aparência.

O cliente pode ir numa reunião de bermuda ou mal vestido e o Advogado pensar que ele não tem lá um grande poder aquisitivo e acaba cobrando um valor mais abaixo.

E na reunião seguinte, o cliente vai com um carro importado.

“O Advogado pode cobrar se ele perceber que eu tiver um poder aquisitivo maior”. O cliente pode ter essa percepção e isso é ruim.

E é justamente disso que queremos sair: de uma precificação amadora e na base do achismo. O Advogado sério não cobra assim.

O Advogado não cobra de acordo com a aparência do cliente.

Caso você tenha que negociar algo, sempre negocie a sua margem de lucro com o cliente e não custo e a despesa.

Mas como eu sei o que são os meus custos, as minhas despesas, como calculo a margem de lucro?

Eu sei, nós não aprendemos quase nada de gestão financeira na Advocacia, ainda mais os jovens Advogados que têm pouca experiência e que precisam muitas vezes cobrar menos para garantir o cliente.

Como finalmente vencer a insegurança e cobrar honorários corretamente na Advocacia

Então, por isso, a Beatriz Machnick, maior especialista em precificação na Advocacia, vai ajudar os Advogados que quiserem avançar nessa questão.

Principalmente os mais novos que estão começando agora, mas que precisam e querem começar do jeito certo.

Neste sentido, a Beatriz gravou um Treinamento sobre Como Cobrar e Precificar Honorários com nada mais do que 3 horas de conteúdo intenso sobre esse assunto.

É para você sair sabendo todas as estratégias para precificar seus honorários em qualquer tipo de situação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *